Começou o XVII Congresso Paulista de Medicina do Sono!

FACEBOOK-POST-02

A Ortobom está sempre comprometida com a pesquisa e desenvolvimento de novas alternativas que promovam boas noites de sono. Por isso, é uma das patrocinadoras do XVII Congresso Paulista de Medicina do Sono, o tradicional evento tem como objetivo a atualização científica nos principais distúrbios da área. Este está acontecendo no Milenium Centro de Convenções, em São Paulo (SP), durante sexta e sábado, 3 e 4 de maio, organizado pelo Comitê Científico de Sono da Associação Paulista de Medicina (APM).
Este é um congresso anual, que reúne especialistas do sono de todo o Brasil, além de pessoas de outras áreas que tenham interesse. O evento traz temas tanto básicos como avançados, espalhando o conhecimento da área. Este ano, traremos muitas novidades de apneia, insônia, síndrome de pernas inquietas, pediatra e sono etc. É uma excelente oportunidade de se atualizar”, afirma Rosa Hasan, presidente do Congresso.

Dificuldades no sono são queixas constantes em consultórios médicos. A ausência de uma rotina adequada para dormir contribui demais para esse cenário. Entre os principais distúrbios, estão a insônia e a Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS).

Alguns dos sintomas imediatos de noites mal dormidas são o cansaço, a alteração de humor e a falta de concentração, com consequências à piora da qualidade de vida. Além disso, os distúrbios do sono constituem fatores de risco às doenças cardiovasculares, obesidade e depressão.

Segundo Rosa Hasan, neurologista e especialista em Medicina do Sono, a despeito de as pessoas não darem a atenção necessária à questão, a dificuldade durante o sono é um problema sério de saúde.

A incidência cada vez maior desse tipo de distúrbio preocupa os médicos. O estudo Episono da Universidade Federal de São Paulo, feito com polissonografias – exame que mede a atividade respiratória, muscular e cerebral durante o sono, mostra que 32,6% dos paulistanos possuem algum grau de apneia do sono, doença caracterizada pela obstrução das vias aéreas, causando paradas da respiração enquanto a pessoa dorme. Esse transtorno aumenta o risco de AVC, infarto e pressão alta.

“É um número bem alto. Com certeza falta informação e muitos não imaginam que são portadores. Mas acontece de o paciente estar ciente do problema e não dar a atenção necessária. Por isso é indispensável que a população saiba que hoje em dia já existem médicos especializados e capacitados para tratamentos efetivos. Não dá para deixar para lá uma disfunção dessas. Se não tratados, podem acarretar consequências graves”, pontua Rosa, que também é presidente do XVII Congresso Paulista de Medicina do Sono.

Há tratamentos que vão desde medicamentos até mudanças de hábitos. Isso porque problemas relacionados ao sono em distintas oportunidades são estimulados pelo ambiente e influências externas. Pessoas que trabalham em período noturno ou que não possuem uma rotina regular para dormir acabam sendo mais vulneráveis.

Serão mais de 20 palestras, que tratarão de assuntos como insônia, efeito de medicamentos, diagnóstico e distúrbios respiratórios, entre outros. Ao fim do sábado, também haverá uma sessão interativa com a apresentação de três casos clínicos.

Fonte: Associação Paulista de Medicina


Cada um no seu quartinho! Como fazer para que a criança durma na própria cama tranquilamente.

QuartinhoQual o momento certo para as crianças passarem a dormir no próprio quartinho? Essa é uma pergunta frequente para pais e mães. Afinal, é muito comum que os bebês se deitem com os adultos nos primeiros anos de vida, pois isso os acalma e ainda promove a qualidade de sono deles.

O desafio é que, com o passar do tempo, o que era para ser temporário passa a ser definitivo. Assim, a criança apenas consegue dormir na companhia dos pais.

Por ser tão importante, selecionamos os tópicos principais sobre esse assunto que vão ajudar na migração da criança para o próprio quarto:

  • A melhor hora para o bebê ter o próprio quarto

Não existe uma data certa. O mais indicado por especialistas é fazer essa mudança assim que os pais se sintam seguros em deixá-lo sozinho no berço. Aos poucos, tanto os adultos como a criança se acostumam com a situação. Entretanto, todos eles concordam que, quanto mais cedo isso acontecer, será melhor para todos.

  • Crianças acima de 4 anos dormindo com os pais não é o cenário mais recomendável

Se as crianças têm entre 4 e 5 anos e ainda querem dormir com os pais, é necessário entender as razões. Nessa idade, a maioria delas já está confiante e com cada vez mais independência. Por isso, se ainda não conseguem dormir sozinhas, é necessário fazer uma investigação psicológica e descobrir os motivos.

Os especialistas recomendam que os pais transformem os quartos dessas crianças em locais divertidos e bastante iluminados. Com o tempo, os pequenos começam a passar cada vez mais horas nesse ambiente – brincando e sem medo do escuro -, até o ponto em que eles estejam seguros o suficiente para passarem a noite inteira sem os pais.

  • A rotina ajuda as crianças

Repetir, todos os dias, certas atividades antes de ir para cama, ajuda a criança a entender qual é a hora de dormir e qual o momento de ficar com os pais. Faça com ela, no mesmo horário, tarefas como escovar os dentes, ler uma história e arrumar a cama. Assim, a criança já entende que é o momento certo para se deitar.

  • Quanto mais tranquilas, mais as crianças ficam no quarto

É comum as crianças terem medo do escuro ou sentir a falta dos pais. Por isso, é sempre recomendável criar uma decoração alegre no ambiente, com os brinquedos e bichos de pelúcia favoritos delas. Outra dica que funciona é colocar uma foto dos pais próximo à cama da criança.

 Evite a tentação de ceder a sua cama

Crianças têm pesadelos e podem ficar assustadas durante a noite. Quando isso acontece, é inevitável que procurem a cama dos pais. O recomendável nesses casos é acalmá-las, e logo em seguida levá-las novamente para a cama delas. Caso contrário, elas irão entender que quando isso acontecer o quarto dos pais estará sempre disponível nessas situações.

 

 

Dormir bem apenas aos fins de semana é insuficiente para a saúde.

712e02d2-624d-4045-8e91-a217504e10c7

 

Segundo um estudo publicado na revista “Current Biology”, cientistas afirmam que dormir um pouco a mais durante o fim de semana não compensa a falta de sono dos dias anteriores. De acordo com o relatório, o ideal é que as pessoas tenham um horário certo tanto para dormir como para acordar.

Não abrir mão de boas noites de sono é fundamental.

Para comprovar essa tese, os pesquisadores dividiram os voluntários em dois grupos. No primeiro, os participantes podiam dormir apenas 5 horas por dia, até mesmo nos fins de semana. No segundo, as pessoas também eram limitadas a dormir 5 horas por dia de segunda a sexta. Já aos sábados e domingos elas tinham a permissão para dormir quantas horas quisessem.

Após o experimento, ficou comprovado que os dois grupos aumentaram o consumo de alimentos à noite, elevaram o peso e ainda apresentaram alterações na saúde metabólica.

Dormir bem faz a diferença na balança.

Como o estudo apontou, os voluntários da pesquisa apresentaram mudanças na rotina alimentar. Com isso, os cientistas alertam sobre os riscos da falta de sono. Além do cansaço, pessoas que dormem pouco podem apresentar sobrepeso e ate mesmo desenvolver diabetes tipo 2.

Ao fim do experimento, os voluntários de cada grupo ganharam, em média, um pouco mais de 1kg.

A rotina é a sua aliada.

Os especialistas apontam que por mais que os efeitos sobre a saúde dos voluntários não seja tão nocivo, é importante alertar que as consequências de noites mal dormidas por um longo período são graves.

Eles afirmam que os adultos necessitam dormir no mínimo 8 horas por dia, e que o horário para dormir e levantar deve ser sempre o mesmo. Afinal, como demonstrado pelo relatório, recuperar o sono apenas aos fins de semana não traz quase nenhum beneficio para saúde.

Fonte: https://www.cell.com/current-biology/pdfExtended/S0960-9822(19)30098-3

 

A importância da escolha do colchão para a saúde.

2fefd4e0-54e7-483c-9857-031a4205e92a

 

Em média, passamos um terço da nossa vida dormindo.

O primeiro e principal passo para ter uma boa noite de sono é escolher um bom colchão – o que, por si só, já é uma tarefa que exige cuidado. Afinal, as horas que você passa dormindo afetam diretamente a saúde e qualidade de vida, então é preciso encontrar o melhor modelo para você.

E como escolher um bom colchão? Existem diversos produtos e tecnologias disponíveis no mercado. Por isso, a escolha não é tão simples. É preciso conhecer o produto, saber o que está adquirindo, se é um produto de confiança e certificado.

A escolha de um bom colchão proporciona melhor saúde e bem-estar, fornece energia para as tarefas do dia a dia e estimula a produtividade no trabalho.

Diferença entre os colchões

Qual modelo de colchão escolher?

A escolha do colchão irá variar de acordo com o biotipo e as necessidades físicas de cada pessoa.

Um dos principais fatores que influenciam na escolha do colchão é o material com o qual ele é confeccionado. Conhecer os tipos de mola, espumas e a tecnologia por trás da confecção do material ajudará no processo de decisão.

Contudo, o ideal é sempre buscar a ajuda de um profissional técnico ou médico e testar o colchão antes de comprar.

Colchão de espuma

Quem prefere dormir em um colchão de espuma deve considerar na hora da compra a densidade indicada, que varia de acordo com a altura e peso de quem vai usá-lo.

“Quanto maior a densidade, melhor o colchão”, não existe essa relação. Existe uma densidade adequada para cada biotipo. É importante respeitar essa adequação, pois colchões de altas densidades poderão trazer problemas para pessoas mais leves, enquanto colchões de densidades baixas deformarão se forem utilizados por pessoas mais pesadas.

Visco

O colchão de visco oferece ao seu corpo a superfície de maior conforto disponível no mercado, com a melhora na circulação sanguínea e o suporte para as articulações sendo seu grande diferencial.

Molas Superpocket Ensacadas Individualmente

A grande vantagem é que as molas conseguem se adaptar ao corpo de cada pessoa que deita nele. E por conta da estrutura de molas ensacadas costuradas individualmente, uma pessoa não sente quando outra se mexe na cama. Por isso, o colchão com Molas Superpocket Ensacadas Individualmente é ideal para casais.

Molas Nanolastic Bicônica

Os colchões de molas da Ortobom não fazem barulho. As Molas Nanolastic Bicônicas são em formato de cones invertidos, em que cada elo superior é maior do que o inferior, não havendo assim atrito entre eles quando a mola é flexionada. Dessa forma, não mais ocorre o barulho que tanto atrapalhava o nosso sono.

Preciso escolher um modelo com selo de certificação?

Atualmente, o mercado de colchões possui uma série de normas e padrões a serem cumpridos. Essas normas e padrões são constantemente testados e certificados por órgãos competentes. A certificação de um produto garante ao consumidor que ele está adquirindo um produto de qualidade.

São colchões produzidos dentro de padrões preestabelecidos. São testados e avaliados, fazendo com que esses produtos sejam de qualidade assegurada ao consumidor. O selo do Inmetro inserido em nossos produtos de espuma, madeira e molas reforça que a Ortobom é uma empresa que tem como principal compromisso fornecer qualidade, conforto, segurança e saúde para os nossos milhões de clientes espalhados em todo o país.

Qual a melhor posição para dormir?

O uso de colchão inadequado pode causar dores, principalmente na região lombar. A lombalgia piora quando dormimos de barriga para baixo. Quando estamos de lado, a coluna fica reta.

Do ponto de vista médico, a recomendação é de que o colchão seja firme. A posição de lado é mais indicada para que a coluna permaneça alinhada da cabeça aos pés, mantendo o fluxo sanguíneo. De preferência, coloque um travesseiro no meio das pernas para relaxar a lombar.

Ainda tem dúvida sobre a escolha do colchão? Entre em contato conosco pelas redes sociais. Teremos prazer em ajudar!

Dormir bem para ser feliz.

O sono é essencial para o bem-estar físico e psicológico.

Durante o sono, seu corpo produz vários hormônios, entre eles a melatonina, que não só regula o momento de dormir, como participa da reparação das células.

Uma boa noite de sono traz também equilíbrio geral ao organismo, regula a temperatura corporal e propicia boa memória. Assim, é possível observar que uma boa noite de sono e a felicidade caminham juntas.

“Cuidar da qualidade do sono é tão importante quando fazer exercícios e se alimentar de forma saudável”, diz Marcio Tannure, ortopedista especializado em traumatologia do esporte.

Confira no vídeo a entrevista completa.

Alimentos que contribuem para a felicidade e o sono.

Você sabia que a alimentação também influencia no humor e na felicidade?

Mudar a forma como você se alimenta vai transformar a sua vida e trazer mais felicidade e bem-estar. O corpo responde de maneiras diferentes aos alimentos que você consome.

Confira no vídeo as dicas da nutricionista Gisele Paiva sobre alimentação saudável. Gostou do vídeo? Comente e compartilhe!

 

Mindfulness: o poder da mente amplia sua felicidade.

Mindfulness é um estado de atenção plena, que é a base da inteligência emocional e da construção de relações mais saudáveis. Exercitar e atingir o mindfullness é o caminho para uma performance melhor no trabalho e uma vida pessoal mais equilibrada e feliz.

Vitor Friary é psicólogo e especialista em mindfulness. Neste vídeo, ele te dá todas as informações sobre esta técnica. Compartilhe para que mais pessoas possam ampliar o conhecimento sobre mindfulness e felicidade!

Conheça os principais cuidados com a pele no verão.

O filtro solar é obrigatório no verão, período em que os raios de sol estão mais intensos e podem causar danos à sua pele. Escolha um filtro no mínimo fator 30 compatível com a sua pele e use antes de aplicar a maquiagem.

Mas além do filtro, há outros cuidados que se deve tomar.

Confira as dicas da dermatologista Cristina Mendes para curtir a temporada de verão sem medo.

Troque o creme por um gel

No tempo mais quente, O gel é mais leve e hidrata. Se sua pele for oleosa, experimente uma espuma de limpeza. Mais tempo ao ar livre significa mais exposição a poluentes, que podem grudar no hidratante e na maquiagem e acentuar os sinais da idade. Por isso, lave o rosto todas as noites com sabonete neutro.

Use loção hidratante

Os cremes pesados contêm lipídios capazes de obstruir os poros e provocar espinhas nos meses mais úmidos. Prefira loções ou géis hidratantes.

Abuse de chapéus e viseiras

Cada 2 cm de aba do chapéu aumenta em 10% a proteção do rosto. As viseiras estão na moda! Esportivas ou coloridas, leve sempre na bolsa de praia.

Mormaço também queima

Podem surgir queimaduras de sol em dias nublados, quando o ar mais fresco nos convence a deixar de lado o filtro solar. No entanto, as nuvens só bloqueiam 20% dos raios ultravioleta. Aplique filtro solar como faz nos dias ensolarados.

Espalhe por toda a pele

Um número grande de casos de câncer de pele surge atrás das orelhas e em outras áreas que podem ser ignoradas na aplicação do filtro solar. Proteja as costas, a nuca, pescoço, mãos e a parte de cima dos pés.

Ajuda com a alimentação

Estudos mostram que os alimentos ricos em antioxidantes (frutas e legumes coloridos, chá verde gelado e nozes) e probióticos (iogurte grego com cultura ativa) oferecem mais uma camada de proteção solar de dentro para fora.

E o sono, como fica no calor?

Para acordar com disposição e bom humor é necessário que o corpo descanse o suficiente e, principalmente, que o sono da noite seja de qualidade. Mais importante que a quantidade de horas dormidas, é a qualidade do sono, que precisa passar por todos os estágios necessários para a recuperação das energias.

Dias mais longos

Cumprir a meta de dormir pelo menos oito horas por noite torna-se mais difícil durante o verão. Com as altas temperaturas, ninguém quer ir para a cama mais cedo e as pessoas acabam dormindo menos.

Além disso, o clima quente causa desconforto e deixa o corpo dolorido. Outro fator que prejudica o sono no verão são os dias mais longos, que aumentam o período de exposição à luz solar. Quanto maior a claridade, menor a produção de melatonina, o hormônio que promove sonolência e é produzido apenas na escuridão.

Proteja sua pele do ar condicionado

O ar condicionado retira a umidade do ar do ambiente e prejudica a lubrificação natural da pele, deixando-a seca, sem brilho e muitas vezes apresentando descamação em áreas como rosto, mãos, pernas e pés. Para completar, assim como os cabelos, as unhas também ficam quebradiças.

A dermatologista Cristina Mendes explica que, para se proteger do ressecamento do ar-condicionado, é preciso tomar alguns cuidados, que devem começar desde o banho. Deve ser um banho rápido, não muito quente e com sabonete hidratante. Também é importante não tomar muitos banhos ao dia. Se for mais de um, que seja usado o mínimo de sabão possível, apenas nas áreas dobradiças, porque ele retira a gordura que protege a pele.

A dra. Cristina também aconselha beber muita água, usar protetores labiais, além de hidratante corporal e facial e ainda hidratar os cabelos com condicionador e cremes específicos.

Curtiu as dicas? Não deixe de acompanhar essas e muitas outras novidades em nosso blog e redes sociais. Curta nossa página no Facebook e nos siga no Instagram. E não esqueça: um bom dia de verão começa com uma boa noite de sono.

Alimentação e sono no verão: o que muda na nossa dieta?

Praia, sol, piscina, passeios ao ar livre… Como você está aproveitando o verão? A estação mais quente do ano precisa de um cardápio especial, repleto de alimentos naturais, com muitas vitaminas, minerais, antioxidantes e, claro, muita água para manter a hidratação em dia.

É o que recomenda a nutricionista Isabel Vieira: “O primeiro passo é beber bastante líquido. Durante os dias mais quentes, a nossa transpiração aumenta e há maior chance de desidratação ou retenção de líquido como consequência”, explica.

Dentre os líquidos, o mais importante é água e devemos ter uma ingestão média de 35 ml para cada quilo de peso. Outra maneira excelente de aumentar esse consumo é com chás gelados, água saborizada, sucos de frutas naturais e alimentos com bastante água em sua constituição, como melancia, melão e abacaxi.

Veja a seguir outras medidas importantes para se manter saudável:

Reduza a ingestão de sal

Essa é uma época comum para ter maior retenção de líquido… é a forma que o corpo encontra de garantir uma hidratação adequada, já que perdemos tanta água pela transpiração.

Logo, se você consumir muito sódio, maior será essa retenção. Busque optar por temperos naturais, como ervas secas e frescas, especiarias como canela, cúrcuma, pimenta do reino e páprica para realçar o sabor e diminuir o uso do sal.

Se estiver retendo líquido, além de aumentar a ingestão de água, tente essa receita de água saborizada diurética:

Água saborizada diurética

Suco de dois limões

10 folhas de hortelã

½ pepino cortado em rodelas

2-3 rodelas de abacaxi

1 colher (sobremesa) de gengibre picado

1 litro de água

Modo de preparo:

  1. Misturar tudo e deixar marinando de um dia para outro na geladeira.

Mantenha o bronze em dia

Alguns alimentos são capazes de ajudar a manter a cor do verão em dia. Isso porque são fontes de betacaroteno, nutriente responsável pela produção da melanina e que vão favorecer um bronzeado saudável.

Alguns exemplos de alimentos que são fonte de betacaroteno: cenoura, mamão, manga, batata doce, laranja e abóbora.

Uma boa opção é fazer um suco 30 minutos antes de se expor ao sol:

Suco bronzeador

1 laranja

1 pedaço de manga

1/3 cenoura pequena

1 rodela de cúrcuma

1 colher (chá) de linhaça

300 ml de água (ou muitos cubos de gelo)

Modo de preparo:

  1. Bater tudo no liquidificador.

Faça refeições leves

Por conta do calor excessivo, é comum não conseguirmos fazer as refeições adequadamente e trocarmos por lanches. Nesses casos, opte por lanches com bastante nutriente e que promovam saciedade.

Alguns exemplos podem ser: vitaminas de iogurte com frutas e aveia, açaí sem xarope de guaraná ou ovos mexidos com abacate. Sucos com mais ingredientes também são muito bem-vindos, como o suco verde (batido com folhas, pepino, etc) ou o rosa (batido com beterraba) já que vão garantir uma boa ingestão de fibras, além das vitaminas e minerais.

E, se conseguir fazer uma refeição mais completa, capriche nas saladas com folhas, legumes (cenoura, pepino, abóbora, beterraba…), alguma proteína (ovo, atum, frango) e uma fibra (gergelim, sementes…). É leve, super refrescante e te garante uma digestão tranquila!

Especialmente antes de dormir, precisamos que essa digestão não seja custosa nem prejudique o nosso sono. E é justamente por isso que smoothies, vitaminas e opções mais leves fazem a diferença. Uma vez que o sono está inadequado, chances são de que todo o restante desande junto.

 Outros alimentos que podem ser aliados no verão:

 Alface

Uma folha tão comum nas nossas refeições e com muitos benefícios a mais do que se imagina. Além de ser riquíssima em água e ajudar na nossa hidratação, a alface é fonte de lactucina, um composto natural calmante.

Por isso, ela pode e deve estar presente no nosso jantar, horário que já começamos a nos preparar para dormir. Outra opção interessante para quem tem o sono conturbado é fazer um suco de maracujá com folhas de alface e tomar pouco antes de deitar, buscando melhorar as noites mal dormidas.

Vegetais verde-escuros

Por ser uma época bastante comum de excessos alimentares e bebida alcoólica, o consumo de folhas verde-escuras pode ser especialmente importante para favorecer o processo de detoxificação do fígado e eliminação de tudo aquilo que não é importante para nós.

Couve, brócolis, agrião, rúcula, etc. têm muitos nutrientes que facilitam esse processo e são essenciais para a nossa saúde em geral.

Receita rápida de suco verde detox:  1 rodela de abacaxi ou 1 fatia de melão ou 1 maçã + 1 folha de couve ou ½ xícara de agrião + 1 punhado de folhas de hortelã + 1 pedacinho de gengibre + 1 litro de água. Coloque no liquidificador junto com as folhas de couve bem lavadas. Acrescente o gengibre e a água. Bata tudo.

Chás

Os chás são bebidas nutricionalmente muito ricas e que apresentam diversas propriedades benéficas, entre efeitos anti-inflamatórios, antioxidantes, diminuição da retenção de líquido…

A boa notícia é que você pode sim tomar gelado! Prepare na noite anterior e beba ao longo do dia seguinte.

Algumas sugestões são: cavalinha com limão, casca de abacaxi com gengibre, chá verde com hortelã, hibisco com canela…

Frutas

De maneira geral, todas são excelentes. Busque ter sempre um estoque de frutas geladinhas em casa para te salvar no dia-a-dia.

Algumas frutas como banana, lichia, manga e uva podem inclusive ser congeladas e consumidas bem geladinhas. A banana e/ou a manga podem passar por um processador e virar sorvete natural de frutas.

A melancia e o melão também são frutas riquíssimas em água e que ajudam a manter a nossa hidratação.

Receita rápida de suco de melancia e gengibre:

  • 625 g de melancia sem semente
  • Suco de 2 limões
  • 1 rodela de gengibre
  • Cubos de gelo

Descasque a melancia e corte-a em pedaços. Ponha a melancia fresca em um juicer ou no liquidificador. Acrescente o suco de limão e o gengibre e bata até que a mistura fique uniforme. Sirva em um copo alto com gelo.

O horário de verão impacta no sono?

A mudança de horário afeta o funcionamento do relógio biológico e impacta na saúde e bem-estar. O sono tem um efeito reparador principalmente para o cérebro, e o acúmulo de privação de sono tem os mesmos efeitos de estar embriagado: afeta nossa capacidade de atenção e concentração, reflexos e destreza motora e aumenta a chance de haver acidentes.

Veja alguns conselhos para minimizar os efeitos do horário de verão:

  • Desacelere: não programe muitas coisas à noite no fim de semana e, se possível, escureça a casa. A claridade inibe o sono. Se você estimular um sono precoce, vai estar mais desperto na segunda-feira.
  • Desligue as telas: a televisão, o computador e o celular devem ser evitados. A luz azul na retina atrasa a produção de melatonina (o hormônio do sono). Uma alternativa é instalar aplicativos no celular e no computador para filtrar e diminuir a luz azul durante o período noturno.
  • Jante leve e mais cedo: adiante também em uma hora a última refeição, que não deve ser pesada e feita no máximo duas horas antes de deitar para não ir para a cama com o estômago cheio demais.

 

Curtiu as dicas? Acompanhe as novidades em nosso blog e redes sociais. Curta nossa página no Facebook e nos siga no Instagram. E não esqueça: um bom dia de verão começa com uma boa noite de sono.