O significado dos sonhos

Blog_Img_sonhos

Bruna Thiele é psicóloga clínica psicoterapêuta com ênfase na abordagem da terapia cognitivo-comportamental
Bruna Thiele é psicóloga clínica psicoterapeuta com ênfase na abordagem da terapia cognitivo-comportamental

Seus sonhos de todas as noites têm relação direta com seus sentimentos e pensamentos: o conteúdo das histórias que você vive enquanto dorme são resultados de suas experiências e aprendizados enquanto você está acordado. Em resumo, os sonhos são considerados um momento em que o inconsciente está se comunicando com o consciente, permitindo acesso à personalidade e aos desenhos ocultos da mente. Os temas de cada sonho são gerados a partir de padrões comportamentais, e trazem muitas informações importantes sobre a saúde mental do indivíduo.

Um exemplo bastante claro são sonhos com perseguição ou abandono, ou ainda algum tipo de fracasso: essas pessoas podem estar sob forte estresse, depressão, medo ou sentimentos ocultos. Uma pessoa que está trabalhando em excesso pode sonhar com uma viagem ou um dia relaxante na praia. Esse é um alerta da mente para uma necessidade de mudança no cotidiano. Outros sonhos que são de simples entendimento são avós que sonham com os netos que estão por vir e jovens sonham com aprovação no vestibular: exposição de desejos intensos que acabam sendo representados enquanto dormem.

Sonhos de crianças são geralmente mais simples e de conteúdo menos complexos: brinquedos e doces, por exemplo. Em adultos, o inconsciente pode usar os sonhos como código para quebrar a censura de barreiras da realidade, moral e lógica. Se uma pessoa, por exemplo, é casada, provavelmente acordada pensará duas vezes antes de efetuar uma traição devido à censura, ainda que esteja vivenciando problemas no seu relacionamento. Já no sonho, essa censura fica mais amena, então pode ocorrer mais facilmente um conteúdo em que esteja traindo, o que pode representar um desejo de melhora das questões adversas que estão acometendo seu casamento.

É importante considerar que os sonhos têm significados além dos literais: afinal, estão ligados aos desejos, compreensão científica das preocupações cotidianas e respostas emocionais. Para descobrir o que de fato nosso cérebro está querendo expressar por meio das imagens sonhadas, é necessária atenção de um profissional especializado. Busque ajuda quando os sonhos estão sendo recorrentes ou se o conteúdo sonhado está afetando o emocional e o cotidiano, ou ainda se o sonho está causando incapacidade de executar atividades por receio do conteúdo sonhado, por exemplo.

A influência da cor no seu sono

Blog_Img_Cores

A cor do quarto é uma escolha muito pessoal. Apesar disso, o tom da sua parede influencia muito na sensação que será transmitida pelo ambiente. Confira algumas dicas para optar pelo melhor tom para você:

Insônia:
Se você tem dificuldades para dormir, apostar em cores escuras pode ajudar. Mesmo com a luz que entra pela manhã, o ambiente não ficará claro.

Relaxamento:
Se você quer relaxar para uma noite de sono mais tranquila, o branco é a cor ideal. Apenas cuide para que a tinta não seja pura demais – a sensação pode ser de sufocamento com o brilho da cor.

Elegância:
Se você quer seu quarto mais elegante, aposte em tons neutros e quentes. Off White e marfim são boas opções.

Bem estar
A sensação de bem estar e um ambiente aconchegante é possível com a cor azul do mar. Esse tom transmite uma emoção que nenhum outro tom transmite. Experimente!

Insônia: conheça os diferentes tipos

Blog_Imagem_Insonia

Distúrbio do sono caracterizado pela dificuldade de adormecer, estima-se que a insônia afeta 40% dos brasileiros. Rolar de um lado para outro na cama leva problemas para o dia seguinte: quem sofre de insônia, seja qualquer um dos tipos, tem dificuldades de concentração e dor de cabeça.

A insônia pode ser classificada em três tipos: transitória, aguda ou crônica.

A Insônia transitória prejudica o sono por menos de quatro semanas. Geralmente acontece devido a eventos isolados que podem afetar o emocional da pessoa: proximidade de uma viagem ou entrevista importante, brigas, problema com relacionamento. A maioria das crises de insônia transitória está relacionada com problemas para conseguir efetivamente dormir, fazendo com que a pessoa fique acordada horas antes de cair no sono.

Insônia aguda, também chamada de insônia de curto prazo, costuma durar entre quatro a seis semanas. É fruto de problemas emocionais, porém de cunho mais intenso, o que influencia o corpo a longo prazo. Geralmente termina quando a fonte do estresse é tratada. Pode ocasionar sintomas como: baixa energia, dor no estômago, enxaqueca e problemas de concentração.

Insônia crônica é a que afeta o sono por mais de seis semanas. Pode ocasionar noites inteiras de agitação com dificuldades em dois extremos para se conseguir adormecer: ao ir deitar-se prolongando o tempo de pegar no sono; ou  fazer com que o indivíduo acorde muito mais cedo do que o necessário e não consiga voltar a dormir. Em ambos os casos leva a pessoa a virar de um lado para o outro sem conseguir dormir, o popularmente conhecido como: ficar fritando na cama. A causa não fica clara, mas pode ser problemas no ambiente onde se dorme, como problemas na luminosidade ou má qualidade do colchão; excesso de atividades antes de dormir; ou problemas psiquiátricos como depressão ou ansiedade.

Conhecer seus sintomas é uma boa estratégia para combater a insônia de forma realmente eficaz. O tratamento é diferenciado, de acordo com o tipo. Pode necessitar de acompanhamento psiquiátrico, em caso de tratamento medicamentoso, ou com psicólogo.

Segundo estatísticas da Organização Mundial de Saúde (OMS), de 30% a 40% dos indivíduos, em alguma fase da vida, experimentarão dificuldades para pegar no sono ou voltar a dormir. A neurologista Andrea Bacelar, em entrevista ao programa Bem Estar da Rede Globo, explica que, em um diagnóstico, precisam ser analisadas questões como ambiente, conforto, aparelhos eletrônicos presentes no quarto e motivos que o fazem acordar durante a madrugada.

Eleve sua qualidade de vida dormindo melhor: procure um médico do sono para uma avaliação mais adequada.

Blog_Imagem_Insonia

Chá para dormir

Blog_Cha

Patricia Davidson Haiat foi a primeira Nutricionista Funcional do Rio de Janeiro e uma das pioneiras no Brasil.
Patricia Davidson Haiat foi a primeira Nutricionista Funcional do Rio de Janeiro e uma das pioneiras no Brasil.

Depois de um dia exaustivo, nada melhor do que chegar em  casa para relaxar. Um banho morno vai bem nesse processo, mas um chá calmante fecha a noite com chave de ouro, garantindo um sono mais tranquilo e reconfortante.

Boas opções é que não faltam! Você pode investir em um chá de melissa, que reduz a ansiedade e o estresse. A camomila, bastante conhecida por suas propriedades calmantes, também ajuda a reduzir a cólica menstrual e aliviar o enjoo. Maracujá, que é o primeiro nome que surge ao pensar em calmante natural, está nessa lista. Mulungu é uma planta medicinal com propriedades que auxiliam no tratamento de distúrbios de sono, agitação e insônia, entre outras condições. A lavanda é usada para relaxar, aliviar a ansiedade e acalmar. E erva cidreira, também conhecida por melhorar a qualidade do sono.

Os chás calmantes auxiliam em uma noite de sono melhor porque ativam o sistema nervoso parassimpático, induzindo neurotransmissores responsáveis pelo processo de relaxamento. Para ampliar esse efeito, você pode combinar os ingredientes entre si – coloque a água para esquentar mas não deixe ferver. Desligue o fogo, coloque as ervas na água e deixe tampado por 5 minutos.

Para um resultado ideal, prepare o chá 30 ou 40 minutos antes do horário de dormir. Recomenda-se o consumo puro, sem açúcar ou adoçante, já que esses ingredientes reduzem as propriedades das ervas. Vale ressaltar que mulheres na tentativa de engravidar ou em gestação devem evitar a ingestão por um período prolongado.

Lembre-se: o chá ideal deve ser consumido quentinho. Escolha um momento após um banho relaxante e aguarde os efeitos para uma noite reparadora!

O segredo para acordar disposto

O segredo para acordar disposto é um combinado entre o planejamento de seu dia e o preparo do ambiente do quarto para uma boa noite de sono.

Confira cinco dicas do nosso Manual do Sono:

Mantenha horários regulares:

Trate de levantar-se sempre na mesma hora, não importando a hora em que tenha ido deitar-se. Se você se deitar tarde na sexta-feira e no sábado para levantar-se muito tarde no domingo, com certeza na segunda-feira terá problemas no trabalho, pois no domingo à noite terpa sofrido de insônia. Se viajar muito, tente conservar sua rotina e volte a ela logo que possa.

Busque qualidade e não quantidade

Seis horas de sono profundo podem fazer com que você se sinta melhor do que oito horas de sono leve interrompido. Não se deve dormir mais do que o necessário. A medida será dada pelo quanto você irá sentir-se bem na manhã seguinte. Se você sentir que recarregou adequadamente suas baterias, não será porque você dormiu pouco e sim porque dormiu o suficiente.

Post-Saude-Ortobom

Deixe suas preocupações e planos para outro momento

Antes de deitar-se escreva uma lista de coisas que deveria fazer ou seus planos do dia seguinte. Tal tarefa irá tirar de seus ombros a responsabilidade de lembrar e isso relaxará seu inconsciente. Se seguir discutindo com eles e mentalizando-os, não irá resolvê-los nem conseguirá relaxar.

Desenvolva um ritual do sono

As crianças leem ou escutam história e rezam suas orações antes de dormir. Você pode escolher seu ritual: escutar alguma música, relaxar os músculos, tomar uma ducha ou ler um livro pode ajudá-lo a conciliar o sono. O importante é que uma vez escolhido o ritual, este deve ser repetido todas as noites.

Ambiente agradável

Um ambiente agradável é fundamental. Deixe o quarto bem escuro, evite lugares barulhentos e, se possível, regule a temperatura. É fundamental um bom colchão, assim como bons travesseiros e roupas de cama: eles fazem grande diferença.